Parques de Anápolis valorizam regiões em até 300%

parque-ipiranga-anapolisSão vários os elementos que proporcionam maior qualidade de vida à população das cidades. Dentro deste cenário estão, sem dúvida, as ações ambientais. Em Anápolis, há um setor específico que recebe grandes avanços: a implantação e funcionamento de grandes espaços ambientais no município. Os parques ambientais tomaram conta de todas as regiões de Aná- polis e promovem muito mais que desenvolvimento social e ambiental aos quase 400 mil habitantes do município, mas, em cadeia, influenciam no cenário econômico.

 

Consolidado como cartão postal da cidade, o Parque Ambiental Ipiranga, inaugurado em 2010, se destaca. Ele tem sido a opção pública de lazer mais requisitada na cidade. Comum ali é encontrar pessoas fazendo exercícios físicos, diariamente, usando a infraestrutura do local. Comum, também, é ver aqueles que procuram o espaço para um simples passeio com a família. É o caso do casal Antônio Silva e Maria Helena Silva, que estava acompanhado de seus três filhos, e de outros familiares.

 

Do morador ao investir, todos lucram com projetos ambientais

 

A dona de casa Terezinha Maria, moradora do Parque Michel, lembra quando soube da notícia de que teria a sua região valorizada com a construção de um parque ambiental. Ela tem uma vista quase particular do Parque da Liberdade. O muro da sua casa faz divisa com o espaço e, a dois metros do portão de acesso da residência, um mirante da parte que mais chama a atenção no lugar. “Moro há 20 anos aqui e o espaço onde o parque foi construído era um famoso buracão que, inclusive, tinha feito aniversário de 100 anos. Minha casa valia nem R$ 50 mil naquela época e hoje não entrego por nenhum valor”, disse a dona de casa.

 

Especialistas em corretagem imobiliária estimam que, naquela região, os imóveis tenham sido valorizados em mais de 300%, projeção que pode ser confirmada com a atualização da planta de valores municipal e dos registros de compra e venda de áreas e imóveis da região. Investimento Desde a simples dona de casa, a região dos parques ambientais também chama a atenção de grandes empresas na área da construção civil.

 

Nas proximidades do Parque Ipiranga, por exemplo, grandes empreendimentos imobiliários avistam no espaço algo que chama a atenção das pessoas que têm como desejo morar numa região contemplada com um parque ambiental. “As áreas próximas aos parques são as mais valorizadas no mundo todo e em Aná- polis é assim também. À medida que uma área degradada é transformada em um parque, a valorização é muito grande dos terrenos e as pessoas querem morar ali. Isto é evidente”, destacou o sócio proprietário da Construtora Emisa, João Emídio, que tem na região do Ipiranga dois empreendimentos entregues nos quais foram investidos cerca de R$ 60 milhões.

 

Em cadeia, também são agregadas à região dos parques toda uma infraestrutura e a comercial é uma delas. Hoje, o Parque Ipiranga tem em suas proximidades restaurantes, bares, confeitarias, sorveterias, academias, entre outros segmentos do comércio que vem para atender a essa nova

 

Parques têm importância estratégica, exalta urbanista

 

O arquiteto e urbanista Edinardo Rodrigues Lucas destaca que a qualidade de vida urbana está ligada à criação e manutenção de diversas estruturas, dentre elas, um sistema de áreas chamadas, no caso, áreas verdes concentradas (parques e reservas urbanas). “Os parques urbanos, especificamente, têm fundamental importância, pois desempenham diversas fun- ções no contexto ambiental da cidade, como: preservação ambiental de áreas frágeis da cidade, opção de lazer e esportes, e ajuda na construção de uma paisagem urbana menos árida”, citou Edinardo.

 

Ele completa que em Anápolis, o intenso uso do Parque Ipiranga é a prova de que bons projetos de áreas verdes integradas ao contexto urbano agradam a popula- ção que o ocupa com as mais variadas atividades. Ele também ressalta a importância que os espaços tenham manutenção constante. “É necessário que o poder público municipal esteja atento à expansão urbana da cidade para que novos loteamentos já sejam construídos com espaços de áreas verdes determinados para as mais variadas escalas da cidade: vizinhança, bairro e a cidade”, finalizou.

 

Leia mais em www.tribunadeanapolis.com.br.

VOLTAR